, , , , , ,

Crítica Literária: Emma Wildes - Um Amor ao Luar

Um Amor ao Luar
(Whispers of Scandal #1)
de Emma Wildes 
Título Original: Ruined by Moonlight
ISBN: 9789896574956
Edição ou reimpressão: 05-2014
Editor: Editorial Planeta
Páginas: 296
Género: Romance; Romance de Época; Literatura Erótica
Compre na Wook:
Livro (aqui)
Goodreads: 3,62 ✰ (aqui)

Sinopse:
Quando Lady Elena Morrow de súbito desaparece, a família fica desesperada para a encontrar e para impedir que a história alastre pela sociedade londrina, antes que a sua reputação seja destruída. Infelizmente, pode ser impossível evitar um escândalo. O visconde Andrews, mais conhecido como o Corvo, o libertino mais célebre de Londres, desapareceu no mesmo momento. Benjamin Wallace, Lorde Heathton é pressionado para ajudar a encontrar Lady Elena antes que a associação com o desaparecimento de Andrews lhe ponha fim à inocência - presumindo que a jovem e vulnerável senhora queira ser encontrada…

Sobre a Autora:
Emma Wildes cresceu a devorar livros e a escrita nasceu naturalmente. A autora costuma dizer que adora escrever porque adora ler. Estudou na Universidade de Illinois e é licenciada em Geologia. Vive em Indiana com o marido e três filhos.

A Minha Opinião:
Este livro veio parar às minhas mãos devido a um engano. Eu em casa tinha visto os livros disponíveis na biblioteca através do catalogo online, e tinha decidido trazer um da Emma Wildes, por nunca tinha lido nada da autora e estava curiosa para experimentar, contudo não era este o livro, e eu com a pressa nem reparei no livro em que estava a pegar. Não é que fossem sequer parecidos, o outro era verde, mas enfim à males que vêm por bem. 
O livro inicia-se com a a Lady Elena a acordar numa cama, com um estranho ao seu lado, ou melhor o Libertino Visconde Andrews, que não é estranho, mas está longe de ter as melhores referências dele, com uma camisa de noite finíssima e consequentemente a entrar em pânico com o que poderá ter acontecido entre os dois. O Visconde por seu turno, estranha também o local, e principalmente ter uma dama ao seu lado, pensando que se trata de uma emboscada para que se case com ela. Isto porque se fossem encontrados naquela situação, a honra dela ficaria em causa, e basicamente ele seria coagido a casar com ela, e pelo que parece não era uma prática assim tão bizarra. Rapidamente percebem que estão raptados, e não percebem quem pode estar por detrás do rapto, e nem sabem como foram lá parar.
Por outro lado temos um casal que está com alguns problemas de convívio, Benjamin Wallace e Lady Alicia. Ele pensou no casamento não por amor, mas uma espécie de coisa natural da vida, enquanto ela tinha expectativas demasiado altas, e a atenção dele, e enquanto não se conhecerem melhor não haverá intimidade entre eles, o que não agrada nada a Ben. Mas as suas atenções são desviadas para a busca pela Lady Elena, pois o seu pai procura-o para o convencer a procurar a filha, invocando favores passados. O que Ben não pensava era que a sua esposa, preocupada com a prima, o fosse ajudar e acabasse por ser muito útil.
Eu admito que ia sem qualquer expectativa para livro, eu nem sabia bem do que tratava, por isso não posso dizer que me tenha desiludido. É um livro leve, com uma escrita fluída, simples e principalmente acessível a todos, e foi sem dúvida uma coisa que me fez gostar do livro e querer ler mais obras da autora.
No que diz respeito às personagens, temos a inocente Lady Elena, mas muito astuta e curiosa. Naquele época grande parte dos temas íntimos, tanto da mulher como do casal, eram um tabu e não se falavam, mesmo entre mães e filhas, onde as primeiras diziam para elas estarem quietas, mostrando a submissão da mulher perante o homem. E neste sentido, temos a Lady Elena curiosa, e a Lady Alicia a perceber que aquilo que mãe lhe disse para fazer não é o que ela quer.
Do lado dos homens, temos Visconde Andrews, um libertino, ou seja, gosta muito mulheres e de sexo, basicamente é isto, e apesar de as mulheres suspirarem por ele, era o homem de quem todos os progenitores queriam afastar as filhas, só que ele também as queria longe porque não estava nos seus planos casar na próxima década. Então mantinha amantes, por norma mulheres casadas ou viúvas, onde não havia lugar a sentimentos, só ao prazer. Quanto ao Benjamin Wallace, é um homem ponderado, em todos os aspectos, mas muito inteligente e com pouco jeito para romantismos algo que tem de melhorar se não a sua esposa irá trazer-lhe problemas.
Esta história acaba por ser um misto de mistério, em descobrir quem está por detrás do rapto, um romance de época e erótico, não estivessem os outros dois fechados num quarto sozinhos, contado em diversos pontos de vista, dos quatro principais, alternando-se entre o que passa no cativeiro e no mundo exterior.
Na minha opinião, na parte do mistério faltou-lhe algo para tornar a história mais interessante, e sem dúvida que o desvendar do mistério deixou bastante a desejar. E ao nível do romance não posso dizer que o livro não é previsível, porque este tipo de livro acaba sempre por ter um final previsível, mas a história é bonita e cumpre o que se pretende de um livro destes. Depois de se ler alguns nota-se que a forma acaba por ser a mesma, mas eu não sei porquê continua-me a fascinar e a ser uma leitura prazerosa. Eu gostei bastante e devorei-o em dois dias sem qualquer dificuldade.
Em suma, a autora apresenta-nos duas histórias de amor diferentes, que nos fazem pensar em como é que funcionavam os casamentos na época dos Condes, e que provavelmente na vida real poucos foram realmente por amor. Recomendo este livro a quem gosta de romances de época com uma pitada de sensualidade e também de histórias de amor e de como o amor é capaz de converter qualquer alma.
A Minha Classificação




Outras Capas:

Share:
Read More
,

10 Séries que Quero Ver #7 - Versão Crime

Eu sou fã de séries de Crime e Policiais, e cada vez vou encontrando mais, o que é bom e mau! Mau, porque pelo que podem ver pela rubrica, isto está feio, mas por outro lado, quando tiver tempo para as ver vai ser bom! Coisa Positiva de relevante, este género de séries é dos poucos que eu consigo seguir atentamente todos episódios e não me canso de ver, porque cada episódio tem um foco diferente. E sem mais demoras, segue mais uma lista, desta vez 10 séries de Crime, Policiais, e uma de médicos, que quero ver, não sei é quando!

NCIS

O agente especial Leroy Jethro Gibbs é o líder de uma equipa de agentes especiais do NCIS (Serviço de Investigação Naval Criminal). Ex-marinheiro, é um investigador durão e detective especializado em interrogatório, que confia tanto nos seus instintos quanto nas evidências. O segundo no comando é o Agente Tony DiNozzo, um detective que, apesar de ser o palhaço do grupo, sempre cumpre o seu trabalho. Os agentes Ziva David e Timothy McGee completam a equipa. Abby Scuito é a assistente de laboratório, de estilo gótico e ao mesmo tempo energética, a quem Gibbs trata como filha, e o Dr. Donnal Mallard, o Ducky é o excêntrico médico forense.


NCIS: New Orleans

Comandado pelo Agente Senior Dwayne Cassius Pride, o Escritório do NCIS em New Orleans tem como função investigar todos os casos relacionados à Marinha dos Estados Unidos desde o Rio Mississipi até o Texas. Morando e trabalhando no escritório, Pride comanda uma pequena equipa, formada pelo Agente de Campo Christopher LaSalle e a sua parceira, a Agente Meredith Brody. LaSalle, recrutado por Pride do escritório do xerife, é um mulherengo que vive e respira a aplicação da lei; Brody, transferida do Escritório dos Grandes Lagos, já trabalhou como agente embarcada e tenta deixar seu passado para trás ao transferir-se para a Cidade Crescente. A equipe é assistida pela Dra. Loretta Wade e por Sebastian Lund, peritos forenses do Departamento de Medicina do Distrito de Jefferson que prestam serviços ao NCIS, e por Paton Plame, especialista em computação do NCIS e agente freelance.
CSI

CSI revela as investigações de um grupo de cientistas forenses da polícia de Las Vegas. Esses peritos trabalham desvendando misteriosos crimes que são pouco comuns, a ponto de alguns parecerem impossíveis de se desvendar. O grupo é formado pelo Capitão James Brass que logo no início já é substituído por Gilbert Grissom, um entomologista que já integrava a equipa, pela biomédica Catherine Willows, pelo analista Nicholas Stokes, pelos químicos Warrick Brown e Gregory Sander, pela física Sara Sidle e pelo legista Albert Robbins. A série vai mostrando o quotidiano dos investigadores, que, enquanto resolvem esses casos surpreendentes, também precisam cuidar de suas vidas.

FBI
Agentes de primeira linha usam todos os seus talentos, intelecto e perícia técnica para investigar tenazmente casos de tremenda magnitude, incluindo terrorismo, crime organizado e contra inteligência, para manter Nova York - e os EUA - em segurança.

SEAL Team
A série acompanha a Bravo Team, uma sub-unidade do Grupo de Desenvolvimento de Guerra Especial Naval dos Estados Unidos, a unidade de elite dos SEAL's da Marinha, que planeiam e realizam missões perigosas em todo o mundo com pouca atenção e sobre eles e suas famílias.

CSI: Miami
Horatio Caine lidera um grupo de investigadores que trabalha em Miami para desvendar crimes. Na sua equipa estão Calleigh Duquesne, bilíngue especialista em balística; Tim Speedle, um investigador que tem vários contactos nas ruas; e Eric Delko, especialista em impressões digitais, entre outros.
Chicago P.D.
O 21º Departamento de Polícia de Chicago é formado por dois grupos distintos: os oficiais de uniforme, que patrulham a cidade e lidam com crimes urbanos, e a Unidade de Inteligência, que é formada por uma equipa disposta a combater as ofensas mais graves: crime organizado, tráfico de drogas, assassinatos de alto calão e outros. Comandando a Unidade Especial está o sargento Hank Voight, um homem que não mede esforços para aplicar a lei. Trabalha diretamente com ele, está o Detetive Antonio Dawson.

Chicago Fire
O dia-a-dia de uma unidade do Corpo de Bombeiros de Chicago. Quando o bombeiro Andrew Darden morre, um clima de rivalidade surge entre os tenentes Matthew Casey e Kelly Severide, que culpam um ao outro pelo acontecido. Wallace Bode, comandante, tenta apaziguar a situação, enquanto o cadete Peter Mills é convocado para unir-se à corporação. As paramédicas Leslie Shay e Gabriela Dawson completam a equipa.

Chicago Med
Spin-off de Chicago Fire, a série acompanha o dia-a-dia de um grupo de médicos e enfermeiros de um hospital de Chicago. Entre eles, a Dra. Hannah Tremble, uma fria e brilhante cirurgiã; a diretora Sharon Goodwin, que não aprova o sistema político no qual a instituição está inserido, mas está sempre tentando ajudar os outros; o Dr. Daniel Charles, chefe da psiquiatria; o Dr. Will Halstead e a enfermeira Maggie Seaver.
Chicago Justice
A equipa de promotores públicos de Chicago precisa achar um equilíbrio entre a opinião pública, os jogos de poder da política local e a sua paixão pelo exercício ético da lei para executar justiça nos casos mais notórios da cidade.

Já viram ou seguem alguma destas séries? Deixem tudo nos comentários e até ao próximo post!
Share:
Read More
, , , ,

Crítica Literária: Ana Rita Correia - Tudo o Que Sempre Quis

Tudo o Que Sempre Quis
de Ana Rita Correia
ISBN: 9789898896148
Edição ou reimpressão: 03-2018
Editor: Eu Edito
Páginas: 272
Género: Romance
Goodreads: 3,88✯ (aqui)

Sinopse:
Salvador. Lucas. Helena. Sara e Martim. 
Cinco jovens que se perderam algures na estrada da vida. Todos eles têm assuntos pendentes, cicatrizes e fantasmas que insistem em persegui-los onde quer que vão. Até mesmo quando, um por um, por um motivo ou por outro, se refugiam numa pequena Vila à beira-mar sem saberem até que ponto os seus destinos estão traçados. 
Uma história de amor, de amizade, de dor, perdão e segundas oportunidades. Mas acima de tudo, lealdade. 
Ninguém é forte o suficiente ao ponto que não precise de outro alguém. 

O que faria com uma noite que mudou tudo? 
Até onde iria em nome do amor?

Sobre a Autora
Ana Rita Correia nasceu no coração do Ribatejo, Santarém, a 13 de Maio de 1993. Aos 14 anos de idade descobriu que a leitura lhe proporcionava um escape para uma dimensão diferente, fazendo-a esquecer o que a rodeava. Fã incondicional de Nicholas Sparks, depressa decidiu que queria contar histórias. Queria escrever livros.
Dez anos depois, os cadernos de capa preta com as pequenas histórias que escrevia, deram lugar a livros impressos.

Continua a mesma leitora compulsiva, sobretudo para escapar ao stress do dia-a-dia da sua profissão como Designer de Interiores e Exteriores.

A Minha Opinião
Primeiro que tudo, quero agradecer à Rita por me ter disponibilizado o seu livro para eu dar a opinião aqui no blogue. Eu já ouvi falar do livro aqui pela blogsfera, já a entrevistei (podem ler a entrevista clicando aqui) e estava curiosa para saber como é que ela tinha desenvolvido o enredo, sendo eu também uma fã de Nicholas Sparks.
O livro entrelaça a história de três irmãos, Salvador, Lucas e Helena, com um foco maior na de Salvador. Acontecimentos do passado afastam-nos, e Salvador depois de muito viajar acaba por ir parar a uma pequena vila à beira mar, o primeiro sitio a que chama casa, desde que tudo aconteceu. Lá fez novos amigos e conheceu uma pessoa que preencheu o seu coração, mas às vezes o passado volta do inferno para uma nova batalha.
Eu gostei da história, há uma boa ligação entre os acontecimentos, as personagens têm boas raízes e é fácil conseguirmos identificar-nos com elas, compreendê-las e torcer para que tudo dê certo com a sua vida. É do Salvador que sabemos mais, que acompanhamos mais de perto, e é difícil não ter um carinho especial por uma pessoa tão simpática, para quem a família é tudo.
As frases no inicio de cada capítulo, de diversos autores, sempre indo de encontro ao que se passa nele, foi uma ideia interessante, são frases bonitas e inspiradores, acabei por apontar a maioria, porque realmente me disseram algo.
Contudo há sem dúvida questões a melhorar, como a profundidade dos acontecimentos, isto é, eu sou uma pessoa que se queixa de grandes descrições, mas em certos momentos elas fazem falta e senti isso neste livro. Houveram momentos que passaram em poucas páginas que necessitavam de uma maior profundidade porque não eram banais, não se tratava de algo que acontece a todos. Depois a própria profundidade das relações amorosas, para que eu percebesse as ações das personagens e não achasse estranho, na minha opinião, deveriam ser melhor explicadas, ou seja com mais momentos entre eles para que se perceba. Foi algo que me deixou triste porque gostei bastante do enredo, e comecei logo a fazer as minhas teorias.
Também não nos podemos esquecer que é o primeiro livro da autora e na minha opinião para um primeiro livro está muito bom!
Em suma, foi uma leitura agradável, o livro tem potencial, porque a história tem pés e cabeça, só na minha opinião lhe falta profundidade para ficar mais completa, afinal são muito poucas páginas para uma história que tem tanto para dar! 
A Minha Classificação


Podem encontrar a Rita nas suas redes sociais, onde também podem encomendar o livro dela!
Share:
Read More
, , ,

Maratona Literária Livropólio - Wrap-Up

Foi no dia 14 de Fevereiro que terminou a maratona literária mais divertida em que participei, também é verdade que a lista é pequena, mas aliar o monopólio aos livros foi uma ideia de génio, e eu adorei participar. Contudo não conclui todos os desafios, porque algumas categorias não tinha livros e outras não consegui ler a tempo. 
Mas vamos lá ver o que li e comparar com o que me comprometi a ler (podem ver o post da TBR para o desafio clicando aqui):
P.S. Os livros que têm opinião no blogue, clicando em cima do nome do livro vão diretamente para a opinião.

Casa 1 – Ler um conto ou um livro de contos
A minha ideia era ler o livro "Seis Contos de Eça de Queirós" recontados por Luísa Ducla Soares e cumpri, deve ter sido dos poucos.
Casa 2 – Ler um livro de poesia
Eu já previa que iria ser difícil concretizar esta casa, e não estava errada. Não li nada de poesia, não é o meu tipo de leitura.
Casa 3 – Ler um romance
Para esta casa escolhi "Viver na Flauta" de Aurélie Valognes, que li, contudo aqui o jogo era por páginas, e acabei por incluir nesta casa o livro "Porto Seguro" da Danielle Steel, que li em versão de bolso. 
Casa 4 – Ler um livro do vosso género favorito
Cumpri este desafio, que foi ler o livro  "Lua-de-Mel em Paris" da Elizabeth Adler, não correu muito bem, foi o considerado por mim a minha pior leitura de 2018
Casa 5 – Ler um thriller, livro de mistério, suspense ou policial
Também cumpri este desafio com o livro a que me propus "Culpa" de Jeff Abbott.
Casa 6 – Ler um romance histórico
Esta foi uma categoria que deu que falar, porque tinha que ser um romance histórico e não de época. Eu não conheço a história britânica para saber se aquilo que eles falam é real, mas segundo o goodreads o livro ganhou o prémio Rita, na categorial de Historical Romance, e eu vou confiar neles. Foi considerada por mim a melhor leitura de 2018, "A Noiva" da Julia Garwood.
Casa 7 – Ler um livro que já tenha sido adaptado para o cinema
Era para ler o "A Todos os Rapazes Que Amei" de Jenny Han, que estava em mais umas quantas TBR para desafios, ainda não li este livro. E depois de as organizadoras dizerem que podia ser um livro que tivesse dado origem a uma série de televisão, eu li do Jay Asher o livro "Por Treze Razões", que deu origem à série "13 Reasons Why", que eu já vi. 
Casa 8 – Ler um livro à vossa escolha
Cumpri este desafio lendo o livro que tinha previsto, que foi "O dia em que te perdi" da Lesley Pearse. Primeiro livro lido da autora, e mesmo sabendo que foge ao género habitual dela, gostei do livro. 
Casa 9 – Ler um livro de fantasia
Não li a "Tatuagem" da Melissa Marr, que tenho na estante, li sim o "Ponto Sem Retorno" da Gabriela Simões, um livro de bruxas, e é o primeiro de uma série.
Casa 10 – Ler um livro requisitado na biblioteca
O que tinha previsto ler para esta categoria, que este ano foi muito fácil de cumprir, foi o livro "A Submissa" da Tara Sue Me, que na realidade eu li e adorei, mas mais uma vez, como se tratava de ter mais páginas no fim da maratona, troquei este livro pelo "A Amiga" da Dorothy Koomson.
Casa 11 – Ler um livro infantil ou juvenil
Infelizmente não cumpri esta casa, com muita pena minha
Casa 12 – Ler um calhamaço (com mais de 500 páginas)
Ia ler o livro da  Penny Vincenzi "Promessas Desfeitas", contudo eu nem pensei que fosse cumprir esta casa sequer. Só que participei numa leitura conjunta do desafio literário "Viciada em Livros" e o livro foi o "Passa a Noite Comigo" da Megan Maxwell, e tem 553 páginas o ebook, e encaixou perfeitamente nesta categoria.
Casa 13 – Repetir um dos desafios à vossa escolha
Ia para ler o livro "October Kiss" da Kristen Ethridge, que ainda está por ler, e acabei por repetir a casa 5, que era "Ler um thriller, livro de mistério, suspense ou policial" e li o livro da Sofie Sarenbrant  "Uma Morte Inconveniente".
Casa 14 – Ler um livro de ficção científica
Não aconteceu simplesmente.
Casa 15 – Ler um livro editado no séc. XX 
Eu era para ler o livro "Enquanto estiveres aí" do Marc Levy, que li. Só que qual não é o meu espanto quando vejo que afinal a edição que tenho é de 2001, e lá se foi a casa 15.
Casa 16 – Ler um livro que tenha flores na capa
Para esta casa escolhi "Um Mar de Rosas" da Nora Roberts, que li a tempo de incluir no desafio, mas a li outro que encaixava com mais páginas, e acabou por ficar o livro "A Fonte Silenciosa" da Victoria Fox.

No total li 12 desafios e li 4246 páginas, como cumpri os quatro desafios extra que valiam 25 páginas cada, tive um total de 4346 páginas, o que nem foi mau, porque nunca pensei ler tanto!

Participaram no livropólio, ou leram algum destes livros? Deixem tudo nos comentários abaixo e até ao próximo post!
Share:
Read More
, , ,

Cinema: Com amor, Simon

Título Original: Love, Simon
De: Greg Berlanti
Com: Nick Robinson, Jennifer Garner, Josh Duhamel 
Género: Comédia, Drama, Romance
País: Estados Unidos da América
Duração: 110 Minutos
Ano: 2018
IMDB: 7,7/10 ✮

Sinopse:
Aos 16 anos, Simon tem tudo para ser feliz. Uma família que o apoia, amigos que o compreendem e uma personalidade cativante. Tudo seria perfeito se não tivesse receio de revelar um grande segredo sobre si: é homossexual. Um dia começa a trocar mensagens pela internet com um colega que se esconde sob o nome Blue. Depois de semanas a conversar continuamente, os dois rapazes apaixonam-se, mesmo sem nunca se terem visto. Mas as coisas ganham novas proporções quando as mensagens entre eles são tornadas públicas por alguém da mesma escola…
Uma comédia romântica sobre aceitação e  autodescoberta que se baseia no “best-seller” com o mesmo nome da autoria de Becky Albertalli. A realização fica a cargo de Greg Berlanti (“É a Vida!”); Nick Robinson, Jennifer Garner, Josh Duhamel e Katherine Langford dão vida às personagens. (in PÚBLICO)

Trailer:

A Minha Opinião:
Mais um filme que estou para ver faz tempo! Acho que demorei tanto tempo, porque nem tenho visto muitos filmes sequer, por isso deixei andar até me dedicar a ver este.
O filme, baseado no livro do mesmo nome, conta a história de Simon, um rapaz que tem uma família e uns amigos fantásticos, compreensivos, liberais, mas mesmo assim ele esconde um segredo quanto à sua sexualidade. Ele quer tanto esconder o que sente, que acaba por não ver o que se passa à sua volta e prejudicar os seus amigos, tudo com medo que as conversas com Blue, outro rapaz gay da escola sejam divulgadas.
Este filme aborda um dos temas mais falados do momento, a homossexualidade, os adolescentes e acho que aceitação. Não só da pessoa como da sociedade. Eu pensava que o assunto já não era tão olhado de lado, mas a verdade é que eu já acabei o secundário à uns anos, e Portugal acaba por ser diferente da América, apesar de por norma nós sermos mais retrogados, a verdade é que os liceus funcionam de forma completamente diferente.
Esta história tenta livrar-nos dos estereótipos, afinal porque é que um rapaz gay tem que ter traços femininos? Veste-se de uma maneira diferente? O Simon até procura na net como se vestir como um gay.
Mas questão é: Ele deixou de ser ele? Mudou? Sim, enquanto estava a tentar proteger o seu segredo, mas não deixou de ser quem é. E foi uma coisa que ele disse aos pais quando se assumiu, foi que continuava a ser o mesmo. Na minha humilde opinião, esta é uma questão central na aceitação por parte dele, e inspiracional para quem está ver, independentemente de se identificar com a personagem. Não é o sexo da pessoa por qual nos apaixonamos que nos faz diferentes, a sociedade é que assim o definiu. É o padrão da sociedade, aquilo que sempre vimos, mas a pessoa não é uma aberração, e acho que é uma coisa que se tem de incutir nos mais novos, porque eles são o futuro, são eles que podem mudar o mundo.
Em suma, eu gostei bastante do filme, agora quero ler o livro! É um filme atual, para todas as idades, e que tem como objetivo mudar a mente de quem o vê, e promover a aceitação de todos. 
A Minha Classificação:

Share:
Read More
, , , , , ,

Crítica Literária: Mari Jungstedt - Ninguém Viu

Ninguém Viu
(Anders Knutas #1)
de Mari Jungstedt 
Título Original: Den du inte ser
ISBN: 9789896660550
Edição ou reimpressão: 10-2010
Editor: Edições Contraponto
Páginas: 216
Género: Thriller, Policial
Compre na Wook:
Livro (aqui)
Goodreads: 3,59✮ (aqui)

Sinopse:
A temporada turística da aparentemente tranquila ilha de Gotland está no auge quando uma jovem e o seu cão aparecem brutalmente assassinados. Uma discussão motivada por ciúmes entre a jovem Helena e o marido, na noite anterior ao crime, faz dele o principal suspeito. Mas passados dias aparece Frida - uma antiga companheira de escola de Helena - assassinada nas mesmas circunstâncias. Daqui em diante o pânico toma conta dos turistas e da pacífica ilha. Sob a pressão dos políticos locais, que temem os efeitos de um assassino em série a assombrar a temporada estival, o Inspector Knutas (com a nem sempre desejada ajuda do jornalista Johan Berg) descobre a trágica história que une as duas vítimas e que só pode significar novas mortes.

Críticas da Imprensa
“Uma autora que controla magistralmente a trama e o ritmo, transmitindo na perfeição um ambiente gélido de suspense e criando personagens totalmente credíveis.”
The Times 

“Quem há que seguir aqui é Anders Knutas, um inspector ao jeito provinciano-intuitivo, com reminiscências do famoso comissário francês Adamsberg (de Fred Vargas) e ao estilo de outra bem conhecida figura da ficção policial, Maigret.”
Booklist 

“Um romance de estreia notável”.
Der Spiegel 

“Jungstedt possui um estilo objectivo e frio que faz lembrar Henning Mankell.”
Metro


Sobre a autora:
Mari Jungstedt é jornalista e trabalhou catorze anos na rádio e na televisão. Iniciou-se no mundo da literatura em 2006, mas é já considerada uma das mais populares e empolgantes autoras de ficção de crime. Ninguém Viu é o primeiro livro de uma série que tem como cenário a ilha de Gotland, na Suécia. Actualmente é em Estocolmo que Mari vive com o marido e os dois filhos.

A Minha Opinião:
Eu nunca tinha ouvido falar neste livro, nem da autora, mas estava a passar na biblioteca na estante de Literatura Nórdica, e o livro chamou-me à atenção, pelo nome, que indicava ser thriller, e por ser fininho, e eu pensei «Eu não tenho nada a perder, vamos levar e ver no que dá». O facto de ser pequeno e de ser um Thriller pode levar a pensar que tudo se desenvolve muito rapidamente, mas não, nada disso.

O Livro inicia-se com um jantar de amigos, em casa de Helena, e tudo parece correr bem, até ela estar a dançar mais um amigo e o marido passasse e bate nele, e também nela. No dia seguinte, ainda sem se falarem, Helena sai para passear o cão, e é atraída na praia por algo ou alguém, e acaba encontrada morta na praia por um senhor que passeava à beira mar. Sendo Gotland uma ilha pertencente ao arquipélago com o mesmo nome, que faz parte da Suécia, é um lugar tradicionalmente calmo e sem grandes situações deste género. 
A polícia local, liderada por Anders Knutas, tenta encontrar o assassino, mas entretanto este faz mais vítimas, Frida, e sabe-se que é o mesmo porque o modo de operar é o mesmo, as vítimas são encontradas com as suas próprias cuecas na boca. Além de tudo isto, ainda existe o jornalista criminal Johan Berg, que vem de Estocolmo para noticiar caso, mas ele gosta de meter o nariz nas investigações e não se limita a relatar os factos. 

Como eu disse inicialmente, há tendência para pensar que o livro pequeno é rápido, mas não é o caso deste. Tem uma escrita densa, pormenorizada, e no meu caso específico nem é uma coisa que me agrade muito, mas não me chateou nesta história, porque eram precisas todas as pistas, para desvendar o caso. Não é óbvio a pessoa que anda a fazer estas barbaridades, e para mim foi um ponto positivo, porque apesar de haver vários suspeitos, não se adivinha logo. 
Ao longo de toda trama, em que os capítulos estão divididos por dias, o que nos permite ter uma noção do tempo que passa na investigação, a autora intercala memórias de uma pessoa que podemos ver que foi que sofreu bastante, tanto na escola como em casa, mas não se percebe de quem se trata até certo ponto da história. 
Quanto às personagens, gostei do inspector Knutas, um homem ponderado, mas depois com a evolução do caso, vêm polícias de Estocolmo, que pensam que por serem da capital sabem mais que os outros, e acho que foi por isso que houveram falhas na investigação. Nomeadamente na ligação entre as vítimas, que na minha opinião devia ter sido melhor trabalhada pela equipa, porque para polícias parece-me pouco credível que não arranjassem certas informações. 
Em suma, foi um livro que me surpreendeu, e que infelizmente não é muito conhecido nem falado, mas também não é um livro recente, e hoje em dia, vivemos muito das novidades e já pouco se liga a livros mais antigos. 
Mas para quem gosta de thrillers eu aconselho este livro, vai gostar, é um crime um pouco macabro, com machados, e nota-se que são mortes frias e calculadas. E também baratinho, vi que estava a 5€ nas lojas de compra habitual como a wook e bertrand, porque é descatalogado. E agora o meu objectivo é arranjar o próximo da série que é o último traduzido em Portugal. 

A Minha Classificação:





Outras Capas:

Share:
Read More
, , , , ,

Crítica Literária: Sarah Mlynowski - Liga-me!

Liga-me
de Sarah Mlynowski 
Título Original: Gimme a Call
ISBN: 9789898032911
Edição ou reimpressão: 10-2010
Editor: Edições Chá das Cinco
Páginas: 240
Género: Romance, Romance Adolescente, Humor
Compre na Wook:
Livro (aqui)
Goodreads: 3,76 ✮(aqui)

Sinopse:
Devi está a ter um dia estranho: acabou de receber uma chamada do futuro. Pior... quem lhe ligou foi ela própria! 
Devi desperdiçou três anos da sua vida a namorar com Bryan - o bonito, adorável e pulha do Bryan. Devi afastou-se dos amigos, desleixou-se nos estudos, não se juntou a clubes… e como Bryan acabou com ela mesmo antes do baile de finalistas, não lhe sobrou nada. Nem mesmo um telemóvel - deixou cair o seu numa fonte. Agora só liga para um número… o seu! E quem atende é ela própria… três anos mais nova! 
Mal recupera do choque e convence a sua versão mais nova de que não está doida, Devi apercebe-se que tem uma oportunidade de ouro. Pode dizer ao seu "eu" mais jovem todas as coisas certas a fazer… porque ela própria já fez todas as erradas! Se a jovem Devi aceitar os seus conselhos, pode manter os amigos, candidatar-se a uma boa universidade, tornar-se uma estrela, e mais importante, poupar-se ao desgosto amoroso de Bryan! 

Mas a Devi de 14 anos já não tem tantas certezas. Ela gosta de Bryan. É feliz. Mas a quem melhor dar ouvidos do que ao seu futuro "eu"?

Sobre a Autora:
Sarah Mlynowski nasceu em Montreal, no Canadá, e licenciou-se em Literatura Inglesa na McGill University. Trabalhou em várias Editoras, em Toronto, até que se mudou para Nova Iorque (onde actualmente vive) para se dedicar à escrita a tempo inteiro. Spells & Sleeping Bags (Amuletos & Almofadas) é o terceiro volume de uma série iniciada com Bras & Broomsticks e Frogs & French Kisses (também já publicados pela ASA com os títulos Biquínis & Bruxarias e Sapos & Saltos Altos). A série tem obtido um enorme sucesso internacional e conta já com mais um título: Parties &  Potions, a publicar brevemente em português. Quando não está a escrever, é certo e sabido que está a tentar "activar" os seus poderes mágicos… Se algum dia conseguir, ela promete lançar feitiços para a paz mundial, doze meses de sol por ano e mais filmes A Guerra das Estrelas…

A Minha Opinião:
Eu já tinha este livro na estante desde 2017, quando o comprei nos meus anos com o cupão de desconto da Saída de Emergência. O que me chamou à atenção foi a sinopse, lembrando-me os filmes adolescentes americanos que são meio fantasiosos, mas que uma pessoa adora!
A história que nos é contada passa-se no primeiro ano e último ano de liceu da Devi. Tudo começa com Devi a deixar cair o telemóvel numa fonte e com ele a avariar e só dá para ligar para ela, 4 anos antes. Nem a Devi do presente nem a do passado acreditam no que está a passar, mas a verdade é que a Devi do presente consegue convencer e tem a ideia genial de mudar tudo o que fez de errado nos últimos anos, de modo a ter uma vida perfeita. Só há um problema, para cada ação há uma reação, e também efeitos secundários.
Este livro está longe de ser uma obra de arte, mas também duvido que fosse essa a sua função. Tem uma escrita simples, sem grande floreado, mas que ao mesmo tempo prende o leitor à história. Numa constante alteração de mundos, a história, que é muitas vezes confusa para quem não está habituado a este tipo de livros, vai-nos sendo apresentada de forma a percebermos as reações que acontecem na Devi do presente, consoante os erros da Devi do passado, e muitas vezes baseado no que vai acontecer, caso ela não altere as suas ideias. 
Está também definido para uma faixa etária, vejo com muitas dificuldades uma pessoa de 40 anos a gostar disto, é um livro para adolescentes, jovens adultos e pouco mais que isso. 
Quanto ao enredo, na minha opinião dava um filme fantástico, mas não é o mais elaborado do mundo, mas entretém, e dá algumas lições de vida, como é costume. Mostra que temos de ter equilibrio na nossa vida, que a amizade é importante, e que nem sempre mudar o passado é uma coisa boa. Aquilo que fizemos é o que nos torna no que somos no presente. Eu sei, cliché, mas é verdade. Quem seriamos nós sem as nossas trapalhadas e vitórias? Ou sem memórias? Pouca coisa, certamente. 
Em suma, é um livro divertido, para nos rir-mos, para descontrair, mas longe de ser um livro para quem gosta de drama. Recomendo principalmente para adolescentes, porque se vão identificar com as personagens.
A Minha Classificação

Outras Capas

Share:
Read More
, , , , ,

Crítica Literária: Victoria Fox - A Fonte Silenciosa

A Fonte Silenciosa
de Victoria Fox 
Título Original: The Silent Fountain
ISBN: 9789897800122
Edição ou reimpressão: 10-2018
Editor: Quinta Essência
Páginas: 416
Género: Romance, Mistério
Compre na Wook:
Livro (aqui)
Ebook (aqui)
Goodreads: 3,98✯ (aqui)

Sinopse:
Lucy Whittaker é o centro das atenções… mas pelos piores motivos. Está prestes a tornar-se a mulher mais odiada de Inglaterra e precisa desesperadamente de sair de Londres, onde, aliás, já não lhe resta nada. Perdeu o emprego, os amigos, a casa… perdeu-o a ele… A sua vida, tal como a conhecia, acabou.

Em desespero, Lucy responde a um anúncio de emprego numa mansão isolada na Toscana. 
O que pode ser mais perfeito do que um esconderijo italiano? 
Mas o imponente e misterioso Castillo Barbarossa revela ser bem mais do que o paraíso de isolamento pelo qual Lucy ansiara. Do sótão vêm sons estranhos; a silenciosa fonte do pátio nunca chega a secar, e por que motivo é que a proprietária da casa nunca aparece?

À medida que os dias passam e as noites escondem mais e mais inquietações, Lucy dá por si a investigar a casa, os seus segredos… e a trágica história de amor cujo eco se faz ainda sentir. 
A Fonte Silenciosa é um romance repleto de emoção, surpresas, traição e escândalos. É um livro que vai permanecer consigo, mesmo nos momentos em que não o está a ler…

A Minha Opinião:
Antes de mais, quero agradecer à Leya por me ter disponibilizado o livro. Eu já o tenho para ler desde Outubro, mas tem sido impossivel chegar até ele até agora.
Mas vamos então à história do livro. O enredo é contado em dois pontos de vista em duas épocas diferentes. Temos no tempo atual, 2016, pela de Lucy, uma rapariga que aproveita um trabalho em Itália para fugir à pressão que sofre em Londres, pois fez algo terrivel. E nos anos 80, pela voz de Viven, uma estrela de Hollywood, que teve uma infância e que foge de casa para seguir os seus sonhos. Acaba por se casar com um médico e vão para Itália viver juntamente com a irmã dele, que ela não suporta. O que une a história destas mulheres é o Castillo Barbarossa, a mansão para onde Vivien foi morar e Lucy vai trabalhar, além disso elas são muito mais parecidas que alguma vez imaginaram. Esta história é a função de duas histórias de vida, que se misturam pelo Castillo Barbarossa.
No inicio a história, admito que não me estava a cativar muito. Não conseguia perceber ao que ia levar, enquanto nos era contada a história de Lucy por enigmas, referindo-se sempre a alguém e a um acontecimento muito mau, mas sem sabermos o que era realmente, a de Vivien ia aos primórdios da sua vida, para percebermos como era a família dela, e era das coisas que mais abomino, falsos cristãos (ou qualquer religião). Um pastor que aos fieis pregava a bondade e batia na filha e na mulher em casa...
Mais ao menos a meio do livro a coisa melhora, e começa realmente a história, com a relação forçada de Vivien com Isabella, a cunhada, que é irritante e diabólica, mas acaba por transformar Vivien também, tornando-a obcecada com o facto de ter de sobressair mais que Isabella, o que tem tudo para correr mal. Mas sem dúvida que a toda a história ganha um novo folgo, porque finalmente tem, na minha opinião um objetivo.
Ao nível das personagens, achei a Vivien mais interessante que a Lucy, porque esta última estava a fugir do que tinha feito em Londres, mas se não fosse o facto de envolver famosos, pouco lhe aconteceria, e mesmo neste caso, era os media que lhe atacavam. Enquanto a Vivien estava a lutar por amor. Talvez por isso não me consegui ligar tanto à Lucy, apesar de ter uma história de vida, também ela dramática e com muito esforço.
Os capítulos finais deixaram-me de boca aberta... Não esperava nada daquilo, mas na verdade eu nem sabia bem o que esperar, mas arrebatou-me por completo e deixou-me sem palavras.
A capa engana um bocado quanto ao conteúdo da história, por mais bonita que seja, porque dá a ideia de romance fofo, e apesar de ele existir, não é bem o foco da história. Do lado da Vivien é o mistério de Isabella e do lado de Lucy, o que se passou em Londres.
Em suma, foi um livro que me custou a dar estrelas, estava muito dividida, mas fiquei pelas 4 estrelas gordas, porque foi um livro que foi crescendo na minha consideração aos poucos, foi-me conquistando e que me surpreendeu. Eu recomendo, é uma história bem escrita, detalhada, que não deixa pontos soltos, e que me deixou fã da autora, que eu não conhecia, mas espero que editem mais livros dela em Portugal. Para quem gosta de histórias de mistério, com romance, drama familiar com mulheres com um passado forte, vai gostar deste livro.

A Minha Classificação:

Leitura com Apoio

Outras Capas

Share:
Read More
, ,

Leituras de Janeiro & TBR - Fevereiro

Lá venho eu com o Wrap-up do mês, que não correu mal, só não foi bem ao encontro da TBR que fiz no mês anterior. (podem ver o post clicando aqui
Ao nível das leituras, foi um mês aceitável, tendo em conta que eu me propus a ler 75 livros em 2019, isto equivale em média a 6,25 livros por mês e eu li 7, acho que até está bom, principalmente tendo em conta a desgraça de Dezembro. 

Vamos então às minhas leituras:
Como sempre poucas ainda têm review no blogue, as que ainda não têm saíram durante o mês de Fevereiro, se nada correr mal! Para irem estando a par sigam-me no instagram e no facebook, que sempre que há post novo eu publico por lá. (podem seguir através dos gadgets à vossa direita).

Cinco Dias em Paris da Danielle Steel
Eu fui para este livro com muitas reticências, não fosse a minha má experiência com livros passados em Paris (aka Lua-de-Mel em Paris), mas foi uma agradável surpresa. A autora apresenta-nos uma escrita fluída, focando-se nos aspetos importantes, e como sempre abordas temas interessantes. Já publiquei a opinião, podem ler clicando aqui.

Ninguém Viu da Mari Jungstet 
Um thriller macabro, mas muito intenso, mesmo tendo poucas páginas. Isto só mostra que não é preciso ser um calhamaço para ter uma boa história. 
Foi um livro que eu fui totalmente às escuras, e gostei bastante.

Um amor ao Luar da Emma Wildes 
Eu trouxe este livro por engano da biblioteca, e quem diria que eu ia gostar?! Um romance de época atrevido e com um grande mistério, afinal quem raptou a Lady Elena e o Visconde. Podia ter sido melhor desenvolvido o final, mas também não se pode ter tudo.

Tríptico da Karin Slaughter
Este já foi uma fuga à TRB de janeiro, tal como os seguintes. Li-o para o projecto da Dora Marques e da Maria João Covas, que é ler Karin Slaughter e o livro do mês de Janeiro era este e eu pensei: Porque não? 
Foi sem dúvida uma leitura intensa, capaz de dar a volta ao estômago dos mais sensíveis, mas muito boa. Já publiquei a opinião, podem ler clicando aqui
Ponto Sem Retorno da Gabriela Simões
Não era para ler este, pensei que só em fevereiro, mas surgiu uma leitura conjunta e eu aproveitei. Li-o em conjunto com a Luísa do instagram @capitulo.seis, e posso dizer que correu muito bem, e foi para ambas a primeira vez a fazer algo do género. 
É um livro com potencial, a história tem por onde andar, mas acho que faltou organização e perceber o que valia a pena ressalvar. Mas foi o primeiro livro da autora, e sem dúvida que está muito bom para primeiro.  Já publiquei a opinião, podem ler clicando aqui.

Volta Para Mim da Mila Gray
Este livro foi lido porque me ligaram da biblioteca a dizer que o livro que tinha reservado já estava disponível e eu tinha uma semana para o ir buscar e li o mais pequeno que tinha de lá. 
Foi uma agradável surpresa, há muito tempo que não lia um YA, e adorei. Uma história fantástica, que aquece qualquer coração e que me conquistou por completo.

Liga-me da Sarah Mlynowski
Tenho este livro desde 2017 na estante, e como precisava de um livro maioritariamente branco para o desafio literário da Beabook do Ano Colorido, achei que este era ideal. 
Divertido, fantasioso e dava um ótimo filme adolescente!

A Fonte Silenciosa da Victoria Fox
Está para ler desde Outubro. É uma vergonha! Acabei-o no último dia do mês, e posso dizer que foi uma boa surpresa, no inicio estava um bocado desiludida, mas com o avançar do livro fui-me surpreendendo casa vez mais!!

TBR para Fevereiro
Fevereiro é o mês de regresso à faculdade, por isso não me quero meter em muitos trabalhos. Quero essencialmente ler o que tenho de parcerias atrasado, que ainda é muita coisa, e ler também para alguns projetos literários mais específicos. 

Como Estrelas Cadentes da Sveva Casati Modignani 
Também está para ler desde do final de Outubro, e estou super ansiosa para começar, mas como se meteram leituras no meio, ainda não consegui chegar lá. Mas já vi críticas que dizem que não é das melhores obras dela, mas como eu nunca li nada da autora é tudo novidade.

As Flores Perdidas de Alice Hart da Holly Ringland 
Não está a ser uma leitura fácil, tenho intercalado pedaços do livro com outro livro. O que me dizem é que ainda não cheguei à parte interessante, vamos lá ver quando chega!

Paraíso da Judith McNaught 
O Gigante de serviço, e que parece ter uma história fantástica... Espero que as coisas se organizem para eu continuar a ler, sim, porque eu já li umas 40 páginas! Acho que foi um bom começo!

Tudo o Que Sempre Quis da Ana Correia
A Ana enviou-me o livro no mês passado em ebook, e queria ver se não deixava muito tarde a leitura, já sei como é! O livro parece muito interessante, e desde que ela o lançou que me despertou interesse, espero gostar bastante.

Um Mar de Rosas da Nora Roberts
Já tenho este livro à muito tempo na estante, à mais de 3 anos, porque eu ainda andava no secundário quando o comprei. 
Apesar de ser o segundo da série das noivas, eles não têm de ser lidos por ordem. Vai também entrar no projeto da Sandra Sousa, do Mil Estrelas no Colo, Ler Nora Roberts e para o Ano Colorido da BeaBook, em que a cor é vermelho.

Não Há Rosas sem Espinhos de Aurélie Valognes 
Já tenho este livro cá em casa desde que foi lançado em Novembro, mas ainda não tive tempo para ler. Deste mês não pode passar.

Passa a Noite Comigo da Megan Maxwell 
Este vai ser a leitura conjunta do grupo do desafio literário da Viciada em Livros. Vamos ver se consigo participar!

Fracturado da Karin Slaughter
Este é o bonús se conseguir cá chegar! É a leitura conjunta para o projecto da Karin Slaughter da Dora e da Maria João, eu gostava de participar, mas a lista já vai longa!

Depois desta lista gigante, até eu acho que estou a ser demasiado ambiciosa... No mês mais curto do ano, eu quero ler muito, mesmo muito, e com as aulas vai ser um desafio, ou melhor um Milagre se eu conseguir cumprir. Contudo o objetivo é terminar as parcerias, que é quase toda a lista. E já me esquecia dos livros da biblioteca, que provavelmente tenho de entregar este mês. Façam fisgas por mim!! 
Conhecem algum destes livros? Deixem tudo nos comentários e até ao próximo post!
Share:
Read More
,

Estreias de Cinema: Fevereiro 2019

Fevereiro chegou e trás muitos filmes com ele. Com muita coisa de terror, que não é a minha praia de todo, temos também muita ação, amor e animação para os mais novos, e não só! 
Alguns chamaram à atenção, mas admito que já tivemos meses melhores!

7 Fevereiro

14 Fevereiro
21 Fevereiro
28 Fevereiro

Houve algum que vos chamasse à atenção? O Como treinares o teu dragão e Portugal à venda chamaram por mim! Mas está longe de ser para os meus gostos um bom mês de cinema.

Share:
Read More
,

Book Haul: Janeiro

O Ano começou e vários livrinhos chegaram à minha estante de diversas fontes! Apesar de não ter feito nenhuma promessa de comprar menos livros, quero ler muita coisa da minha estante, por isso as compras são como sempre de livros muito baratuchos, por norma em segunda mão. 
Vamos então ao que chegou cá a casa:

Compras
J.D. Robb - Vingança Mortal
Eu comprei este livro por 2€ com portes num leilão, como é possível resistir a isto? Não dá. Apesar de ser de uma série, sei que os restantes estão na biblioteca, por isso não há mal nenhum. 
Vamos é lá ver se eu gosto, apesar de ser thriller, sei que se passa em 2058, não sei se acharei muita graça.

Danielle Steel - Querido Papá
Eu nem sei bem de que fala o livro, mas tendo em conta que é da Danielle Steel e que em conjunto com o seguinte custaram 3€, não me posso queixar. Não tenho a capa do livro, porque ele é da Temas & Debates que já não existe, e nem é tamanho de bolso, nem normal, é um intermédio.

Gayle Forman - Se Eu Ficar
Era um livro que eu já queria ler à algum tempo, mas ainda não tinha tido oportunidade de o trazer da biblioteca, mas aproveitei este preço fantástico e comprei-o. Não é tamanho normal, é um bocado mais pequeno, e nunca o vi à venda nas lojas.
Passatempos
Simonetta Agnello Hornby - Café Amargo
Fazia tempo que não ganhava nada, e agora ganho dois em dois meses seguidos! Isto é que é ter sorte. Este ganhei de um sorteio do blogue "The Little Angie".
Não conheço muito sobre o livro, vou completamente à descoberta, mas acho que é um romance histórico.

Biblioteca
K. Bromberg - Dominada
Primeiro de uma série (segundo o goodreads), pouco mais sei dele a não ser que é um romance erótico, mas estou muito curiosa para o ler. Tem 4,3 estrelas no goodreads, eu acredito que seja bom!
A. S. A. Harrison - A Mulher Silenciosa
Eu vi este livro algures nas redes sociais, e quando chego à biblioteca está nos destaques. Peguei logo nele, apesar de não saber nada, mas suspeito de um thriller domésticos, vamos ver se acerto.
Maya Banks - Obsessão
Outro Erótico... Era fininho, e já ouvi falar maravilhas da autora e resolvi arriscar. Já vi que tem quase 4 estrelas no goodreads, e por isso tenho um bom feeling.
Robert Bryndza  - A Sombra da Noite
Por fim, mas não menos importante, o segundo volume da série da Erica Foster!! Eu adorei o primeiro e quando o deixei na biblioteca reservei este, e fiquei toda contente quando me ligaram. Já ouvi dizer que não é tão bom, mas espero que não me desiluda muito!
Parcerias
Ana Correia - Tudo o que sempre quis
Este livro é um livro que já tinha curiosidade de ler à algum tempo, até entrevistei a autora aqui para o blogue, e tenho algumas expectativas, não esquecendo que se trata de um primeiro livro.

Rowan Hisayo Buchanan  - Inofensivas, Como Tu
Gentilmente cedido pela editora Bizâncio, foi um livro que me chamou bastante à atenção e espero ler nos próximos meses!

Laura Kinsale - O Príncipe da Meia-Noite
Gentilmente cedido pela Leya, tal como o seguinte, este livro chamou-me à atenção devido ao meu mais recente amor por romances de época, e a capa é muito bonita!

Minerva Spencer - Perigoso
Além da capa bonita, e da premissa interessante, já ouvi excelentes críticas sobre o livro, e sem dúvida que estou muito curiosa para o ler!!

Já leram algum destes? Ou conhecem algum? Deixem tudo nos comentários e até ao próximo post!
Share:
Read More