Música, Filmes, Livros, um pouco de tudo. Liliana, 20 anos, apaixonada pela sétima arte, toda a música existente, e sonha ter uma biblioteca gigante. Mergulhada constantemente em pipocas no sofá, e escritora nas horas vagas. Contacto: alilianaraquel@gmail.com

, , , , , ,

Crítica Literária: Vicente Alves do Ó - Marylin à Beira Mar

Marylin à Beira-Mar
de Vicente Alves do Ó
ISBN: 9789895560066
Edição ou reimpressão: 08-2012
Editor: Oficina do Livro
Idioma: Português
Páginas: 220
Género: Romance
Compre Aqui:
Livro: 14,90€
Ebook: 10,49€ 

Sinopse:
Narrada pelo filho, esta é história de Laura, uma mulher pouco convencional que desafia os limites do permitido no Portugal conservador dos anos 50. Laura foge do marido que a maltrata e descobre o universo dos sonhos e do amor, onde finalmente lhe é consentida alguma liberdade. 
Tendo como o pano de fundo a figura quase omnipresente de Marilyn, ídolo de Laura. 
Livro intenso, provocador, adaptado ao cinema por António da Cunha Telles (Kiss me).

A Minha Opinião:
Lembro-me que comprei este livro numa promoção de hipermercado, era leve 3 e pague 2. O que me chamou à atenção foi o nome do livro e a capa. Fiquei bastante curiosa para ver o que ia sair dali, afinal o quer teria a Marilyn a ver com Portugal? Foi o que fiquei a descobrir.
O livro conta a história de Laura, mas narrada pelo seu filho mais novo, Simão. Laura é uma mulher forte, em pequena era a protegida do pai, a menininha dos seus olhos, o que criava na sua mãe alguma revolta, deste modo assim que o pai falece, a mulher arranja maneira de casar a filha. Contudo o casamento está longe de correr bem, e Laura foge e é obrigada a abandonar o filho. Acaba por encontrar paz em casa da tia, vinda da América tinha uma vida completamente diferente do que Laura conhecia, e foi ela a sua salvação.
O livro mostra um Portugal conservador, em que um homem bater numa mulher é normal, que o divórcio é um pecado, e outras coisas horríveis que se praticavam naquela época. O que mais me incomodou, foi submissão da mulher no seio familiar, algo que foi contrariado por Laura, que foi falada e falada na vila por tudo o que fazia. Uma mulher não fumava, não conduzia e não vestia calças, coisas que para nós hoje em dia fazem parte do quotidiano à 50 anos atrás era pecado.
Quanto às personagens a minha preferida foi a própria Laura, ela era dona de si própria (a partir de uma certa parte da história) e lutou para ter a sua vida, e isso é um exemplo.
O que menos gostei no livro, foi as descrições que eram muitas, mas isso já é defeito meu. De resto gostei bastante do livro, e aconselho a lerem!

Trailer
É verdade, houve um filme do livro. Estrelado pela apresentadora Marisa Cruz, conta com nomes de Rui Unas, Nicolau Breyner e Manuel Wiborg. Estreou em 2004, e admito que o trailer não é assim grande coisa!

A Minha Classificação: 

Share:

1 comentário: